A importância de relaxar. Já pensou num programa de mindfullness?

por

São cada vez mais os estudos científicos a demonstrar que o mindfulness pode ser um poderoso antídoto contra a dor, o cansaço e o stress emocional, caraterísticas que tão bem conheço. ☹ Por isso, acho que o assunto merece destaque.

Para quem não sabe, uma das principais características desta técnica de meditação passa pela observação tranquila e equilibrada das nossas reações mentais e emocionais às manifestações de dor e exaustão e pelo treino de uma resposta mais equilibrada às vicissitudes da vida.

Em 2014, uma ampla revisão com base em três estudos anteriores, publicada na BMC Neurology (“Mindfulness based interventions in multiple sclerosis – a systematic review”), concluiu que intervenções baseadas em mindfulness podem, de facto, beneficiar algumas pessoas com EM em termos de qualidade de vida e saúde mental.

Os resultados na redução da depressão foram tão positivos que o National Institute for Health and Care Excellence (NICE) do Reino Unido aprovou intervenções baseadas em mindfulness no tratamento da depressão.

Já um estudo mais recente de 2016 (“Evaluation of a brief community-based mindfulness intervention for people with multiple sclerosis: a pilot study”) revelou que com apenas um breve programa de mindfulness (cinco sessões de 2 horas) se registou uma melhoria no stress psicológico, no stress percebido, na qualidade de vida e no aumento da aceitação. A investigação justifica que “ao treinar o direcionamento da atenção, a pessoa passa a ter um maior controlo do seu pensamento, evitando passar longos períodos de tempo a recordar eventos do passado ou a preocupar-se com as consequências futuras da sua doença”.

Além disso, sabe-se atualmente que o mindfulness pode ser uma terapêutica de apoio não apenas para os sintomas mentais e emocionais, mas também na gestão direta dos sintomas físicos da EM, nomeadamente quando associado a terapias como a reflexologia, a massagem e o tai chi chuan.

A esse propósito um outro estudo de 2000, “Mindfulness of movement as a coping strategy in multiple sclerosis: a pilot study”, evidenciou melhorias significativas e diminuição da deterioração dos sintomas relacionados com o controlo dos movimentos, melhoria no equilíbrio, no tempo da marcha ou no melhor controlo da bexiga.

Se tiver interessado, saiba que em Portugal existe o Ser Integral: Centro Português de Mindfulness, que promove cursos e formações online e presenciais no âmbito da saúde e bem-estar de adultos, crianças e jovens.

Além disso, organiza retiros (em formato residencial ou não residencial), uma oportunidade para ficar longe das rotinas diárias e tarefas que normalmente ocupam os nossos dias. Todas as informações disponíveis em https://serintegral.pt/pt/

1

Ainda sem comentários.

O que pensa?

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.